Banner-Blog


É nosso blog. O que você me conta? 🙂

 


 

 
 

 

Dia Nacional do Café – pediu um café? Vamos servir degustação! 

 
O Café brasileiro segue evoluindo! Quer provar?
 
Para comemorar esse Dia Nacional do Café (24/5), te oferecendo uma experiência! Que tal provar dois cafés bem diferentes… e descobrir o seu jeito de degustar?
 

 

Hoje, você vai a uma unidade do Santo Grão tomar o seu café… e nós te servimos dois!
Aqui vão algumas dicas para começar a degustação do Café Santo Grão + Café tradicional:

 

Guia para se aventurar em experimentações de café! 

O que é um bom café?  

Aquele que você gosta. Geralmente são limpos (não sujos; não tem sabor de terra, química, borracha…), são doces, e tem algo especial a mais: frutado, achocolatado… etc. E acredite: o corpo não mente.
 

Como você pode se preparar para prova?  

Evitar perfumes e cigarro – coff coff – ajuda a manter seu olfato e paladar prontinhos para o café!
 

Dicionário rápido – O QUE É: 

-Doçura? Está provando café de qualidade? Então você pode sentir na ponta da sua língua.
-Ausência de defeitos? Café limpo! Clean! (Você pode ver isso melhor nos grãos de café. Eles têm coloração bonita? São uniformes?)
– Fragrância? O cheiro que você sente no café ‘seco’, ou seja, em grão ou pó.
– E aroma? Já o aroma vem do café já ‘molhado’, depois de entrar em contato com a água.
– Como medir corpo? É aquela sensação de ‘peso’ na língua… café ‘encorpado’ tem mais peso…
– Aftertaste? É aquela sensação depois que você toma o café… é prazeroso? Prolongado? Curto?
 

Chegou a hora de degustar: 

1 – Ver – olha o grão antes de torrar. Atenção às cores e ao tamanho. Estão uniformes? Ele dá a impressão de limpo?
2 – Sentir fragrância seca –após moído! O que você sente é agradável? O que te lembra?
3 – Agora com o café feito (coado, ou espresso, ou o que você quiser) analise a coloração da bebida e o aroma! Quanto mais livre de defeitos, mais marrom-avermelhado será a cor!
4 – Provar… hum! Nessa hora, perceba: em quais locais a bebida bate na sua língua?
  
E aí, quais as diferenças? Como nosso café brasileiro pode ser cada vez melhor?
 
Bons cafés e descobertas! ☕

 
 
 
 
NitroCoffee, mas pode chamar de chopp de café 

 
 

NitroCoffee Santo Grão – geladinho e cremoso!


 
 

Um cliente ficou curioso. “É chopeira?”. Não. Café gelado! 12 ou mais horas em contato com a água. “Igual ao Cold Brew da garrafinha?”. Acertou na trave. Adicione nitro ao cold brew. Nitrogênio? Isso mesmo. N2. Ele provou. “Hum, no verão vai fazer sucesso!”. O outro também. “Isso aí é bom! Geladinho assim”. “Os jovens é que vão adorar”. É para todo mundo… pode adorar… #NitroCoffee Santo Grão!

 
 
 
 “O negócio é meu e eu vou cuidar do Morumbi”
 
KÁTIA RIBEIRO

 
 

Almoçamos. Ela sempre com os olhos nos clientes. A equipe atendendo. “Ele é um doce de pessoa(não entendo?). Ela também! Temos uma equipe especial aqui”. A Katia Ribeiro é gerente geral do Morumbi. E olha tudo com carinho. “É meu e eu vou cuidar do Morumbi!”. E propriedade de quem já atuou em quase tudo. “Abri o Itaim junto com a Dani! Era garçonete. Em meio a tantas meninas lindas, fui líder da manhã. Depois, líder da noite. Isso me deu muita responsabilidade. Você tem que tomar suas decisões. Fazer as coisas acontecerem”. E muito aconteceu! Em 2018, serão oito anos de Katia no Santo Grão.
 
 
 

Kátia Ribeiro – gerente geral Santo Grão Morumbi


 
 
“Eu me candidatei!”
Quando Moema abriu vaga para gerência? “Eu fui. Como eu quero sempre algo novo, também gerenciei a Vila Madalena!”. A Katia não é de ficar parada. Já reparou? Mesmo quando o financeiro nas casas fez ela precisar voltar um passo! “Eu falei que voltava, sem problemas, para o salão no Itaim!” Em 2016, lá estava ela. “Foi uma surpresa voltar como líder. Eram muitas pessoas diferentes. Eu precisei conhecer o pessoal, um por um”. Mas se acomodar? Não é com ela. Em 2017, viu uma nova vaga. Agora para gerente geral no Morumbi. “Eu me candidatei! Sou assim. Quando já peguei alguma coisa, quero novos desafios”. Persistente, ela conquistou. Desde agosto de 2017, a Andreia – sócia da unidade – confiou a gerência do Morumbi à Katia!
 
“Formei toda equipe que está comigo!”
Ser a nossa gerente geral é estar de olho em tudo. A Katia é muito mão na massa. “Tem sido um aprendizado. Como fazer para mostrar para a pessoa o caminho, mas não fazer por ela?”. Ela questiona. E repensa. Imagine, uma unidade com 27 pessoas!
 
Com quantos ‘braços direitos’ se faz um Morumbi? “Eu formei toda a equipe que está comigo hoje!”. Ela suspira, cheia de orgulho. “Tem o Jhon Kennedy, gerente de atendimento, que super evoluiu! Conheci ele no Itaim e me impressionou com a filosofia da casa. O Wesley, assistente administrativo. A Mônica! A Nayara, chef de cozinha”. Parece que a Katia está em todo lugar “Eu só tomo decisões quando falo com a equipe. São eles que estão lá no dia a dia. Tem muito feedback. Procuro ouvir”. É assim na unidade, no Quiosque, no To Go! Dinâmica. E pronta para o sobe e desce de escadas.
 
“Eu vejo eles como coaches”
Boa na execução. Buscando aprendizado no planejamento. “A franqueadora? Eu vejo eles como coaches mesmo. Isso é do Santo Grão. Me ajudam no conhecimento. Direcionam. Busco sempre a Jaci, o Junior, o Paulo. Sinto que eles auxiliam muito”. E como é trabalhar com Marco? “Ele está me deixando muito à vontade. É o oposto do que eu esperava”. Ela se surpreendeu. E disparou logo em seguida: “Ele faz sentir que o negócio é meu. Não vou cuidar como se fosse meu. É meu e eu vou cuidar do Morumbi”.
 
 
 

 
 
 
 Nossas caixas de cápsulas vazias foram para o… Japão?
 
 
Recheamos a estante do Itaim. Linda! Com muitas amostras de produtos para encher os olhos! Mas, descobrimos que vão-se as caixinhas… e ficam os cafés???
 
-Por que você não pega essa caixinha aqui para vender? – um dos garçons perguntou.
-Ué, mas essa é amostra – o outro respondeu.
– Putz! Vendi duas caixas de cápsulas… talvez vazias! O cliente disse que ia para outro país… lá se foi nossa caixinha. Será que foi pro Japão?
 
Alguém conhece o cliente? Ficamos devendo!!!
 
 
 

Criamos 6 novos pratos cheios de brasilidade!

 
 
De pequi a tamarindo. Passando por jabuticaba… e sem deixar a maravilhosa coxinha de fora! Lançamos novos seis pratos. Tem entrada, prato principal.
Podem vir provar essas delícias! Investimos em inovação. São cinco pratos criados pela Marcela Neilly. Ela trabalhou na nossa cozinha. Hoje é a consultora e chef de criação!
 
 

SANTO_GRAO0032
 
 
E ainda tem um prato criado pelo Braian Paiva, do Santo Grão Oscar Freire!

 
1-Pirá Ceviche, com leite de tigre e sobert de tangerina

 

2-Croquette de peixe branco, com Molho Pimenta Pequi e Guacamole

 

3- Leitão com mousse de ervilha, farofa de castanha e redução de jabuticaba
 

 
 

4- Crostata de Shitake Trufada com Fontina
SANTO_GRAO0025

 

5- Coxinha de Costela Paiva com molho de Tamarindo

 

6- Coral de Couve Flor Maçaricada com Fonduta e Vinagrete de Manjericão

 


 

 
 
 
 
Novo Bar Experientia! 

 

Dia Nacional do Café!

Novinho em torra. O bar de baixo da Oscar está funcionando! Quem estava com saudades? AAAAAH, o aroma! Bem-vindos de volta a cultura do café especial! Temos nitro. Coffee Geeks. Keiko. Gerusa. Microlotes. Métodos. Torrador Probatore 5. E café sendo torrado! Vamos falar muito sobre cada um aqui, no BlablaBlog! Boa leitura!

 

ok 20180129_135525 blog
Nosso novo Bar de Torra na Oscar Freire. De volta aos cafés mais que especiais!

 


 
 
 

 
 
 
 
 
Microlotes – Um Café Diferente

 
Queremos dar uma experiência única. É a busca! Garimpamos, um a um, grãos de produtores que amam o que fazem. Cada um tem uma razão de ser. Na xícara sentimos o porquê daquele gosto. Ou daquela história. Os primeiros já estão à venda nas unidades:

 

 

 
20180312_161930
 
UTZ Super Sustentável!
 
Esse é o café da Fazenda Movimento! Com + qualidade e menos defensivos químicos! É #UmCafeDiferente
Fazenda Movimento: (+) qualidade / (-) defensivos químicos
 

 
20180314_123614
 
93,5 pontos SCA
 

Nas alturas! Esse microlote chegou a 93,5 pontos na escala SCA!
O que quer dizer? Café pra lá de especial! Ele é #UmCaféDiferente! 💘👊☕
Sítio da Torre: café com 93,5 pontos na escala da Associação de Cafés Especiais
 


 

 
 
 
 
Novos Drinks Saudáveis!
 
 
Probiótico, ayuveda, adaptogens. Lançamos novas 11 bebidas e drinks! Já estão no Itaim e na Oscar. É verão. Saudável. E a pessoa toma gostando. Aí sim! A consultoria é do Marco de la Roche. Mixologista e barista da DrinkLab. Ele trabalhou com a gente lá em 2006. “Já éramos a frente do tempo”.
 
Continuamos! A carta tem Alcoólicos e Não Alcoólicos. E muita ciência envolvida. Vamos falar sobre alguns! Neste post, olha só o SG Bullet Proof Coffee, por exemplo:
Quais os efeitos? (O QUE INTERESSA)

 
 
IMG_8682 blog
 
 
Age direto na sua energia. E na função cognitiva! O Bulletproof Coffee foi criado por um americano. Objetivos: aumentar o foco! Queimar gordura. Dar clareza mental. Saciar! E quer ainda mais? Oferecer resistência corporal.
 
 
Ingredientes-chave: o Brain Octane Oleo. Tipo especial de gordura. Equilibra os hormônios da fome, ghrelin e CCK. Assim, a pessoa se sente saciada. Ele também se converte em moléculas que o seu cérebro usa de forma mais eficiente do que carboidratos ou açúcar. Outro segredo: a gordura saturada da manteiga. No café? Sim! Ela retarda a absorção de cafeína. Dá aquela energia por muito mais tempo! Constante… prolongada!
 
 


 
 

 
 
 
 
Porta-Talheres NA LATA
 
 
O ofício de papel gera muito lixo. Custo alto. Para nós. Para o meio ambiente. Despertamos. Vamos mudar? Com a nossa cara! Na lata! E nos mostrar. Aproveitamos para ter adesivos. Despertou interesse no produto? Os garçons ajudam a contar essa e outras histórias!
 
 
20171221_180025 blog
 
 
Limpinhas: Vamos passar aquele álcool em todo fecha!
Feedbacks de quem já usa (O QUE INTERESSA)

 
Os garçons: agilidade no serviço, menos tempo para montar as mesas; é + descolado, + cool;
Os clientes: A latinha economiza espaço na mesa;
A gerente: Economiza guardanapos; clientes mais ”relaxados”, comendo sanduíches e tapioca com as mãos! Muitas pessoas trocando os talheres: usando faca de carne com massa ou talher de peixe na salada. Mesmo tendo o talher “correto” nas latinhas. Será que os clientes se importam com isso? Será que precisamos ter tantos tipos de talheres diferentes?